Novidades no DSTAR

2649 x carregado & 955 x vizualizado

Novo sistema permitirá maior autonomia de encaminhamentos de indicativos bem como a interligação entre DMR e DSTAR.

Tradução de texto do DL5DI – Hans
************************************************************************
CCS7 – o que é isto?

Revisão:
“CCS” significa Callsign Communication System (Sistema de Comunicação do Indicativo). Foi desenvolvido à vários anos como uma alternativa otimizada para o sistema de roteamento de indicativo do software G2 da ICOM.
Encaminhamento CCS pode ser iniciado com base no indicativo, mas também com base numa identificação numérica que pode ser facilmente introduzida por DTMF.
A utilização dos códigos DTMF muito rapidamente se tornou a forma mais comum.
Quando o CCS-Code foi introduzido para o roteamento de indicativos DSTAR ninguém esperava que a aceitação seria tão alta como a vemos hoje em dia.
No início muitas pessoas argumentaram: “temos indicativos de rádio amador, não preciso de mais números”, ou “o encaminhamento feito pelo G2 actual é bom o suficiente” etc ..
No entanto, o sistema foi instalado pela primeira vez na área de língua alemã, onde o sistema reflector DCS cresceu muito rápido e se tornou o principal sistema.
DCS e CCS estão intimamente ligados, o CCS, sistema de roteamento de indicativo usa o mecanismo do reflector DCS para conectar repetidores juntos para roteamento de indicativos.
O roteamento de indicativos por CCS basicamente liga dois repetidores em conjunto através de um reflector virtual.
O sistema DTMF usa códigos numéricos de 4 dígitos, o que fornece cerca de 9000 CCS-IDs.
Utilizadores e repetidores compartilham o mesmo espaço de endereço.
Rumo ao final de 2014, tornou-se visível que este espaço de endereços não vai ser grande o suficiente para o desenvolvimento futuro.
Os utilizadores de CCS viram muitas vantagens em comparação com o encaminhamento feito de modo clássico, onde as chamadas são direcionadas às cegas via repetidores sem saber se ocorre um QSO na outra extremidade, onde refletores de ambos os lados se perturbados por chamadas recebidas e QSOs fantasmas, onde eles só ouvem um lado, quando o destinatário/a tem de aceitar uma chamada dentro de um curto espaço de tempo antes que ele possa falar, onde os indicativos completos com caracteres alfanuméricos têm de ser inscrito para abordar alguém, isto é muito mais difícil de fazer em muitas das situações (como quando se trabalha em móvel por exemplo) do que introduzir um código de 4 dígitos DTMF com o teclado DTMF do microfone.
A partir de 2015 apareceram algumas exigências legais que foram impostas aos administradores dos sistemas reflector DCS, a necessidade de introduzir um registo de base de utilizadores. Eles decidiram usar o registo do CCS para isso. Isso aumentou a demanda por CCS-IDs novamente.
Foi feito um reaproveitamento de IDs que já não eram usados por um longo período de tempo, tiveram que ser re-atribuídos para permitir que novos utilizadores se registassem – o que causou alguns problemas.
Pensou-se então num novo sistema de identificação para CCS em 2014, mas o facto de que um monte de software “cliente” ter de ser alterado sempre nos foi dissuadindo.
Agora a pressão voltou, não há outra maneira, temos que fazê-lo!

CCS7
Poderíamos inventar um novo sistema, com um esquema de numeração própria, novos servidores de banco de dados, novos sistemas de administração, recrutar novos administradores, isto iria criar novos erros e confusão para os utilizadores.
Mas também poderíamos usar um sistema de trabalho existente, bem concebido e que está em uso há muitos anos.
Quando o sistema de voz digital “DMR” (Digital Radio Mobile) foi introduzido para os radio amadores pelo DMR-MARC Group eles estavam enfrentando um sistema que não foi desenvolvido para o serviço de amador, como o DSTAR. Um facto real era que não permitia usar indicativos alfanuméricos para roteamento e identificação. No entanto é um sistema muito bom que se encaixa bem às nossas necessidades e permite que uma grande quantidade de novos desenvolvimentos e atividades sejam elaborados.
O compromisso é aceite pela maioria das autoridades, todo o mundo tem um sistema de identificação numérica que atribui uma identificação exclusiva a um indicativo de uma base de dados legível pública. Alguns OMs definiram um esquema de ID estruturada que se baseia no “UIT Country Code” (MCC).
Este código também é usado em muitas redes comerciais como por exemplo em redes de telefonia.
O sistema de numeração usa uma estrutura hierárquica, o primeiro dígito representa o continente (2 = Europa, 3 = América do Norte, 4 = Ásia, 5 = Austrália/Oceania, 6 = África, 7 = América do Sul). Os três principais dígitos identificam o país, por exemplo, 235 para o Reino Unido, 262 na Alemanha, 310-319 para os Estados Unidos, 655 para a África do Sul, 238 para Portugal, etc.
Os radio amadores usam mais 4 dígitos para-IDs de utilizador.

Pode encontrar mais informações sobre o ITU-MCC na Wikipedia e nas páginas da UIT.
Uma lista completa de IDs que são utilizados para o rádio amador pode ser encontrada aqui: ITU-MCC por país/prefixo e IDs regionais aqui.

Este sistema fornece cerca de 10.000 IDs por país, muitos, muitos mais do que o antigo sistema CCS.
(Temos atualmente 45 mil utilizadores em todo o mundo DSTAR registados no sistema US-Trust e cerca de 16 mil inscrições DMR em todo o mundo).
Do ponto de vista técnico, este regime de 7 dígitos usa todo o espaço disponível, sem mudanças no protocolo de rede CCS. Juntamente com um ID módulo adicional para hotspots DSTAR privados Cabe no campo de endereço de 8 dígitos.

Há 2 (DMR-) sistema de registo disponíveis, um nos EUA para os IDs do continente 3, 4, 5 e 7 e um na Europa para os IDs do continente 2 (Europa) e 6 (África).
Um único registo wordwide – Este sistema de registo usa banco de dados e uma base de endereço comum sincronizada.
O sistema europeu é actualmente também conectado ao banco de dados do DMRplus na rede. A inscrição em um dos dois sistemas de registo é obrigatório e será encaminhado para a rede DMRplus. O sistema europeu oferece todos os endereços de utilizadores registados e repetidores regulares para o DMRplus Masters e Gateways em todo o mundo.

Decidimos usar os DMR-IDs existentes também como base para um novo esquema DSTAR ID de 7 dígitos a que se chamou CCS-ID “CCS7”.

Vantagens:
Maior espaço de endereçamento
Userfriendly, apenas um ID para os diferentes sistemas de Voz Digital
Fácil de usar com Gateways entre as redes digitais de voz como se tratasse da rede DMRplus
Uma estrutura que é fácil de manusear e coordenar
Banco de dados já existente, muitos IDs existentes para os utilizadores DSTAR que também usam DMR
Um grande passo para uma infra-estrutura de voz digital comum

Conseqüências:
Na prática, os utilizadores só poderão obter um novo CCS-ID.
Em chamadas nacionais para os utilizadores, repetidores e módulos de hotspot tudo permanece o mesmo como hoje em dia com os códigos 4 e 5 dígitos.
O sistema CCS adiciona automaticamente o MCC (Mobile Código do país / os três primeiros dígitos) da ID do remetente para o endereço de destino.

Exemplo:
DMR-ID do DL5DI é 2625007 (com o MCC = 262 para a Alemanha)

Uma estação com um ID alemão pode utilizar o código de 4 dígitos “5007”
Uma estação com uma identificação de outro país precisa usar o ID completo, incluindo MCC para a Alemanha, “2625007”

A maneira de lidar com repetidores e módulos de hotspots DSTAR permanece inalterada, o MCC será adicionado da mesma forma como mostrado antes para os utilizadores se o destino tem uma outra MCC diferente do remetente. O novo sistema só permite usar quatro módulos diferentes (A…D) para uso com o DTMF.
Vamos fornecer mais informação sobre isto e mudar a documentação existente num momento futuro.
Os 4 dígitos CCS-IDs já não podem ser utilizados no novo sistema, senão haveria muitas colisões com DMR-IDs existentes.
Os utilizadores que já têm um registo DMR-ID não precisam mudar nada no seu registo. Se por qualquer razão especial tiver que ter mais de um DMR-ID o menor registado será o CCS7-ID!
O sistema CCS7 não vai permitir usar mais de um CCS ID por indicativo, a atribuição tem de ser única, a diferenciação de hotspots privados ou vários modems e dongles pode ser feita com o ID do módulo opcional.
Quando o sistema for implementado vamos mudar o antigo sistema de registo CCS.

O que tem que ser feito agora?
Nada!

O que foi lançado ou pode ser testado até hoje?
Nada!

O nosso calendário:
Antes, todos os sistemas de hardware e de software que se conectam à rede CCS têm de ser modificados!
Temos um conjunto de servidores de teste necessários para testar toda a infra-estrutura.
Jonathan G4KLX, o autor do ircDDBGateway que é o software mais comum como repetidor DSTAR tem de construir uma versão de teste especial para nós.
O sistema antigo CCS não é compatível com o novo, vamos configurar novos servidores que só permitem a conexão entre sistemas CCS7 autorizado. Este sistema será chamado CCS701, CCS702 …
Por favor, note que os servidores de teste não aceitam qualquer ligação de repetidores ou outros que não os nossos sistemas de teste hotspots.
As novas especificações de protocolo para desenvolvimento podem ser pedidas para mim (DL5DI). Estará disponível no idioma Inglês.
Durante a fase de transição CCS e CCS7 podem correr em paralelo por um tempo, os servidores serão conectados e os endereços traduzidos, mas devemos manter este tempo tão curto quanto possível, ele irá causar alguma confusão para os utilizadores, pois eles têm que usar diferentes IDs em diferentes sistemas. Uma actualização o mais rápido possível será recomendada tão logo o software se torna disponível.
De qualquer forma, estamos num estágio inicial, não há necessidade de sobrecarregar os administradores com pedidos de registo agora.

Este novo CCS7-IDs serão necessários no futuro para obter acesso à rede reflector DCS, como já é o caso em vários servidores na Europa. Isto tem razões legais e baseia-se em algumas experiências com pessoas estúpidas durante o ano passado.

Vamos fornecer mais algumas informações numa apresentação na Hamradio 2015.
Se você vai estar lá pode fazer parte desta apresentação “Informatives Treffen der DV-Benutzer” no dia 27 de Junho, sábado começando às 10:00 na sala “Thurgau”.

73 de Torsten DG1HT e Hans DL5DI

CT1JIBJorge Santos

D-Star